sábado, 28 de novembro de 2009

Os esquecidos




Pela janela chegam
os cânticos dos aflitos,
Cantam o amor impossível,
entoando dentro da noite,
sua tristeza,
sua agonia...

Cantam a escuridão das almas
que nascem e morrem
sem amor.

Cantam para afugentar a dor
de serem esquecidos,
a dor que não é mais dor,
é a certeza, de não ter
existido.

Cantam, cantam
E espantam as horas mortas
que buscam a solidão.
Cantam para afugentar o
choro, no soluço preso
ainda na garganta.

Betânia Uchôa

Um comentário:

reltih disse...

tristes letras, aunque la esperanza grita en canta, canta.
bello escrito, me encantó. un beso amigo